quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Forte descarga elétrica atinge cúpula da Basílica de São Pedro




 (FILIPPO MONTEFORTE / AFP)


No dia em que o Papa Bento XVI surpreendeu o mundo ao anunciar nesta segunda-feira que renunciará ao papado no dia 28 de fevereiro por "falta de forças", uma cena curiosa foi registrada por fotógrafos que estavam no Vaticano. Uma forte descarga elétrica caiu sobre a cúpula da Basílica de São Pedro. A decisão inédita do Papa abre um período de transição na Igreja até a Páscoa, quando será eleito um novo Sumo Pontífice.

O anúncio foi feito em um discurso pronunciado em latim no Vaticano diante de vários cardeais.

"Depois de ter examinado perante Deus reiteradamente minha consciência, cheguei à certeza de que, pela idade avançada, já não tenho forças para exercer adequadamente o ministério de Pedro" admitiu.

"Por isto, sendo muito consciente da seriedade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado por meio dos Cardeais em 19 de abril de 2005, de forma que, a partir 28 de fevereiro de 2013, às 20.00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por meio de quem tem competências, o conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice".

"No mundo de hoje, sujeito a rápidas transformações e sacudido por questões de grande relevo para a vida da fé, para governar a barca de são Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor tanto do corpo como do espírito, vigor que, nos últimos meses, diminuiu em mim de tal forma que hei de reconhecer minha incapacidade para exercer bem o ministério que me foi encomendado", confessou Bento XVI.

Segundo o porta-voz do pontífice, o padre Federico Lombardi, um conclave acontecerá por volta da Semana Santa (24 de março a 1 de abril). "Para a Páscoa teremos um novo Papa", disse, depois de explicar que Bento XVI não participará do Conclave para a eleição do novo pontífice.

O conclave deve acontecer 15 a 20 dias depois da efetivação da renúncia.

Com AFP




Nenhum comentário: